Leituras políticas da paródia e o capital

Até que ponto está um espetador confinado nos seus próprios preconceitos, ou nos dos outros? Porque é que aceitamos numas obras o que rejeitamos noutras, e porque é que gostar de um artista acaba por se parecer tanto a ser adepto de um clube de futebol? Vamos considerar, hipoteticamente, que Paolo Sorrentino é muito mais …